Técnicas de Respiração para Controlar o Estresse, a Ansiedade e o Suor

Técnicas de Respiração para Controlar o Estresse, a Ansiedade e o Suor

Embora a hiperidrose, de forma geral, tenha sua origem em um problema físico, o excesso de suor também apresenta um forte componente psicológico. Em determinadas situações algumas técnicas de respiração podem ajudar a controlar o suor a ansiedade e o stress. Confira as dicas…

Técnicas de Respiração para Controlar o Estresse, a Ansiedade e o Suor

Diante das situações que provocam estresse ou ansiedade, o nosso corpo reage mediante o mecanismo de luta ou fuga, aumentando a transpiração.

Além dos tratamentos convencionais para a hiperidrose, que atuam contra as causas físicas, podemos utilizar ferramentas alternativas para aprender a relaxar e manter o controle do suor.

Assim, as técnicas de respiração podem nos ajudar a enfrentar situações estressantes, como reuniões, entrevistas de emprego ou palestras em público, sem se preocupar com o suor.

Comigo, a hiperidrose se manifestou exatamente em uma situação de estresse, numa reunião de trabalho, e desde então eu procuro sempre utilizar estas técnicas de respiração antes de cada reunião, e funciona muito bem!

Nossas emoções estão ligadas com a respiração!

Diante de um estímulo estressante, costumamos responder com uma respiração rápida, acelerada e pouco profunda e um aumento dos níveis de transpiração.

Por outro lado, forçar-nos a respirar lenta e profundamente transmite ao nosso cérebro a mensagem de que não há com que se preocupar e, portanto, não há por que suar.

Respirar de forma controlada aumenta o nosso nível de oxigenação, melhorando os processos cerebrais e nos ajudando assim a resolver com êxito os desafios.

A longo prazo, a prática regular de exercícios de respiração aumenta a capacidade pulmonar e circulatória.

A respiração envolve todo o corpo, mas o diafragma ganha um destaque especial. Este músculo é o encarregado de separar o tórax do abdômen.

Não podemos vê-lo nem tocá-lo de maneira direta, o que faz com que se ignore a sua verdadeira capacidade e não use de forma completa.

Embora haja um grande número de técnicas de respiração, vamos nos concentrar em duas das mais simples e mais relaxantes: a respiração abdominal e a respiração completa.

Respiração abdominal ou diafragma

Esta técnica baseia-se no movimento do diafragma, fazendo subir e descer o abdômen.

Apresenta uma grande quantidade de ar para os pulmões e promove a oxigenação do sangue.

Atua sobre o chamado “plexo solar”, liberando a ansiedade, melhora a circulação sanguínea e massaje suavemente os órgãos abdominais.

Para praticar a respiração abdominal, devemos seguir os seguintes passos:

  • Deitar de barriga para cima, em uma posição o mais confortável possível. Para isso podemos usar um tapete de yoga ou colocar almofadas debaixo da cabeça e os joelhos.
  • Expulsar todo o ar dos pulmões várias vezes para expelir completamente de ar residual. De um modo natural, esta expiração prolongada causará a necessidade de inalar mais profundamente.
  • Inspirar levando o ar para a barriga. Apoiar as mãos sobre ele e verificar que se movem com cada inalação.
  • Reter o ar nos pulmões por alguns instantes.
  • Expulsar o ar aliviando o ventre: este desinflará, fazendo com que as mãos, voltem à sua posição inicial.
  • Ao final da exalação, de contrair o diafragma para os pulmões para expulsar todo o ar.
  • Ficar alguns instantes “no vácuo”, desfrutando a sensação de relaxamento. Voltar a repetir o processo.
  • É importante não forçar a retenção de ar: ao sentir a necessidade de inalar ou exalar deve-se seguir este impulso, não combatê-lo.

Respiração completa

Também chamada de respiração sadhana, esta técnica aproveita toda a capacidade pulmonar e exercita também nosso controle mental, proporcionando a máxima serenidade e concentração.

A inalação e a exalação realizam-se em três fases: abdominal, costal e clavicular.

Podemos praticar esta técnica sentadas ou deitadas.

Para as primeiras vezes, recomenda-se deitar-se confortavelmente como no exercício anterior. Passos a seguir:

  • Coloque uma mão no abdômen e outra no peito e expirar a fundo 2 ou 3 vezes.
  • Iniciar uma respiração lenta e profunda, levando o ar para a parte inferior dos pulmões e sentindo como se move a mão situada na barriga.
  • Continuar expandindo a zona das costelas e, por último, preenchendo a parte alta dos pulmões, fazendo com que as clavículas se levantem. Este passo pode ser percebido através da mão situada no peito.
  • Reter alguns instantes o ar sem esticar o rosto, o pescoço ou os ombros.
  • Começar a expulsão fazendo com que o ar saia primeiro a parte superior, abaixo da zona das costelas e, por último, do abdômen, de forma inversa à da inalação. O ar deve ser expelido completamente.
  • Manter os pulmões vazios durante poucos segundos e repetir o processo.

Para começar a praticar técnicas de respiração, o mais aconselhável é reservar alguns minutos por dia para realizar os exercícios em um ambiente tranquilo.

Com o tempo, essas técnicas se tornarão naturais para nós e podemos usá-las em nosso dia-a-dia para lidar com situações estressantes e controlar a transpiração excessiva.

Leia também: Como Acabar Com o Suor Excessivo nas Axilas Naturalmente